• apetef

15 de maio - Dia da Família

Acredito que vocês já tenham ouvido falar da “Síndrome do Ninho Vazio”, não é mesmo? E sobre a “Síndrome do Ninho Cheio”? Já ouviu essa expressão?


Alguns autores vêm observando que, em contrapartida, ao ninho vazio (período do ciclo de vida do lançamento dos filhos, em que os pais costumam ficar sozinhos), o fenômeno do ninho cheio, caracterizado pelo adiamento da saída do jovem adulto da casa dos pais, vem acontecendo de forma cada vez mais frequente. O fato pode ser atribuído a uma maior necessidade de Formação profissional, aliada à dificuldade de inserção no mercado de Trabalho e a conquista de melhores salários.

Por outro lado, constatou-se que esse prolongamento da permanência no lar parental, além de ser aceito pela família, é também incentivado pelos pais, o que motiva o jovem a seguir desfrutando do conforto e da segurança que a casa paterna oferece.





Um sistema familiar estável e flexível - com fronteiras bem definidas e hierarquia familiar respeitada - contribui para a acomodação de pais e filhos.

Às circunstâncias que essa fase do ciclo de vida familiar exigirá e favorece a criação de novas estruturas de relacionamento, onde os pais possam lidar com a ansiedade que a maior independência do filho jovem adulto pode gerar, além de auxiliar para o convívio saudável e respeitoso entre os membros da família.




Gostou do tema? Se quiser se aprofundar mais no assunto, seguem indicações de autores para leitura: Ana Caroline Sari Vieira e Paula Grazziotin Silveira Rava; Célia Regina Henriques, Bernardo Jablonski e Terezinha Féres-Carneiro; Claudia Andrade; Betty Carter e Monica McGoldrick.



-Sandra Romeiro -

Psicóloga. Terapeuta de Família e Casal. Terapeuta certificado em EMDR.

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo